No ano de 1896, o francês Henri Becquerel constatou que um composto de urânio – sulfato de potássio e uranilo – apresentava a interessante característica de causar uma mancha numa chapa fotográfica mesmo no escuro e embrulhada em papel negro.
A interpretação de Becquerel era de que o composto emitia algum tipo de raio capaz de atravessar o papel e atuar sobre a chapa. Essa propriedade era semelhante à do raio X descobertos um ano antes por Wilhelm Conrad Röntgen.
Ainda no mesmo ano, Becquerel percebeu que os raios do urânio ionizava gases, isto é, provocavam neles o aparecimento de íons, tornando-se condutores de corrente elétrica. Anos mais tarde, o alemão Hans Geiger utilizava essa propriedade para criar o famoso contador Geiger.
No final de 1897, a polonesa Marie Sklodowska Curie passou a se interessar pelo fenômeno descoberto por Becquerel. Em abril de 1898, ela já havia percebido que, além do urânio, outro elemento conhecido , o tório, também emitia os misteriosos raios. Começou, então, a suspeitar da existência de elementos radioativos desconhecidos. Em julho do mesmo ano, com ajuda do marido, físico francês de renome Pierre Curie, descobriu um novo elemento que chamou de polônio. Alguns meses depois ambos descobriram um elemento ainda mais radioativo ao qual deram o nome de rádio.
Ainda no ano de 1898, Ernest Rutherford utilizou uma tela fluorescente para detectar as radiações provenientes de um material radioativo. Com auxílio de placas metálicas eletricamente carregadas descobriu que havia dois tipos de radiação, que chamou de alfa e beta. A radiação alfa, segundo ele, deveria ser formada por partículas de carga positiva, uma vez que seu feixe é atraído pela placa negativa. Já a radiação beta,deveria ser formada por partículas negativas, pois seu feixe é atraído pela placa positiva.
Além disso, como as partículas alfa sofrem um desvio menor, isso significa que elas devem possuir massa maior do que as partículas beta, pois, quanto maior for a massa de uma partícula, maior será a sua inércia e, portanto, mais difícil será alterar sua trajetória.
Em 1900, Paul Villard, na França, descobriu uma outra forma de radioatividade que não apresenta carga elétrica, sendo chamada de radiação gama. Nesse mesmo ano, Becquerel descobriu que as partículas beta são, na verdade, elétrons com alta velocidade.
Em 1909, Rutherford mostrou que as partículas alfa são íons de hélio bipositivos.

About these ads

Comentários em: "A descoberta da Radioatividade" (10)

  1. Goosteii Dooo Siite !

  2. bruna slompo disse:

    Muitoo interresante esta descoberta da radiotividade!Esta me ajudando a fazer um trabalho! Agradeçoooo ;x

  3. bruna slompo disse:

    Bommm! isto me ajuda pra fazer um trabalhoo agradeçoo ao siteee

  4. queijo disse:

    bom meu fessor mando um trablho agora tenho q procura ,sorte q aqui tem

  5. kennedy disse:

    gooooooosteiiii………………….

  6. Carol disse:

    *-* muito bom o site mas podia ser um pouco mais resumido vou ter que copiar tudo á mao aiiaiii ânimoo rsrsrs

  7. gostei muito desse saite e bem resumido

  8. Adry disse:

    Amei o site, ele explica igual o livro da escola, e essa foi a minha sorte porque esqueci de pegar o livro na biblioteca só tinha um trechinho da explicação. AMEI.

  9. lari disse:

    gostei mto!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 842 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: